O governo de Jair Bolsonaro cortou 158.452 beneficiários do Bolsa Família apenas no mês de março, mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus. Desse total, 96.861 (ou 61,1%) são da região Nordeste. A informação foi trazida por Carlos Madeiro, no UOL.

O número de beneficiários do programa é o menor do governo Bolsonaro e o menor desde maio de 2017, quando o Bolsa Família teve o maior corte de sua história.

O Ministério da Cidadania, agora comandado por Onyx Lorenzoni, tentou justificar o corte deste mês alegando que 185 mil famílias ingressaram no programa, mas 330 mil “se emanciparam” por apresentarem evolução nas condições financeiras.

O Bolsa Família atende famílias que vivem em situação de extrema pobreza, com renda per capita de até R$ 89 mensais, e de pobreza, com renda entre R$ 89,01 e R$ 178 mensais. Se a renda per capita for maior do que isso, a família é retirada do programa.