Após vídeo de Ciro Gomes atacando atitude de Bolsonaro sobre a queima na Amazônia, PRESIDENTE urgentemente convocou reunião

Nesta noite de quinta-feira (22/08), o ex-presidenciável Ciro Gomes (PDT) divulgou nas suas redes sociais um vídeo na qual cobrou do atual presidente Jair Bolsonaro (PSL) a tomada de posturas acerca do desmatamento na Amazônia. Ciro exigiu a demissão do atual ministro do meio ambiente Ricardo Salles, que chamou de “incompetente e corrupto”, e, além disto, pediu para que Bolsonaro “calasse a boca” para evitar agravar a situação.

Ciro sugeriu ao presidente que pedisse ajuda a países com experiência no combate a incêndios, como Portugal e Estados Unidos, e intimou o mandatário a imediatamente ir para os locais de incêndio que ele “assuma a responsabilidade e tome a linha de frente da defesa deste patrimônio que pertence aos brasileiros (Amazônia)”.

Coincidentemente, horas depois da divulgação do vídeo de Ciro nas redes sociais, Bolsonaro, o qual estava reticente a falar sobre o tema, convocou os seus ministros para uma reunião de emergência para discutir acerca das queimadas na Amazônia.
 
Bolsonaro chegou a acusar ONGs de estarem provocando incêndios para prejudicar o seu governo, sem apresentar nenhuma prova de tal situação. Ciro em seu vídeo disse que se havia alguma suspeita sobre esses organismos, Bolsonaro deveria ativar os órgãos de inteligência para apurar questão, não caberia ao presidente ser ”palpiteiro”.

Sabe-se que grupos tradicionalmente ligados às queimadas, como madeireiros e ruralistas, deram forte votação ao atual presidente.

Por fim, Ciro sugeriu a investigação do chamado “dia do fogo”, dia no qual madeireiros e ruralistas teriam convocado para fazer queimadas simultânea nas matas. 

Situação internacional delicada

A situação não tem estado nada boa para o Governo brasileiro nas últimas semanas. O assunto das queimadas na Amazônia virou Trending Topics pelo mundo, sendo um dos assuntos mais comentados. Diversas personalidades nacionais e internacionais têm criticado o Governo. No Twitter, a hastag #PrayforAmazônia (“Ore pela Amazônia”) tem ganhado repercussão em cada canto do mundo. Virou notícia também a nuvem de fumaça provocado pelas queimadas na Rondônia, o qual alcançou a cidade de São Paulo na última semana, transformando dia em noite, assustando moradores.

Por fim, a notícia de que o G7, grupos dos países mais ricos do mundo, se reuniriam sob a convocação do presidente francês Emanuel Macron para discutir a questão das queimadas na Amazônia, assustou a equipe econômica brasileira. A possibilidade do Brasil receber sanções financeiras pelo seu descuido com a Amazônia poderiam ser um grande desastre para uma economia em crise que persiste em não se recuperar. 

Assista no vídeo.

Comentários