Cruzeiro perde nos pênaltis e acaba sonho da libertadores

A partida foi para os pênaltis após um empate sem gols animado no Mineirão. Com Fábio no gol e seu histórico positivo em decisões em cobranças de penalidades, a expectativa era enorme para o time celeste avançar para as quartas de final da Copa Libertadores. No entanto, Armani foi maior que o camisa 1 da equipe mineira, defendeu duas cobranças e ajudou os argentinos no acesso por 4 a 2.

Foi um jogo bastante disputado. Os primeiros minutos de partida foram todos do River que conseguia ser mais agressivo. A equipe mineira conseguiu igualar em campo e criou chances importantes. Na etapa complementar, o time celeste melhorou, mas não conseguiu marcar. Nos dois jogos, o confronto ficou empatado e o melhor foi decidido nos pênaltis, com 4 a 2 para o River.

Agora o River Plate espera o vencedor de San Lorenzo e Cerro Porteño para saber quem é o adversário nas quartas de final.

Primeiro tempo

O Cruzeiro entrou em campo com uma modificação em sua escalação. O meia Robinho, sem condições de jogo, não entrou e foi substituído por mais um volante.

Os primeiros minutos mostraram uma postura diferente do Cruzeiro em campo. Embora a partida fosse no Mineirão, a equipe mineira tinha um estilo defensivo de jogo, esperando o River Plate em seu campo defensivo, com os atletas atrás da linha da bola.

A postura celeste, porém, atrapalhava o River a propor o jogo. As jogadas iam para a ponta ou não conseguiam terminar com vários homens no meio campo. Mas o clube argentino era mais incisivo no ataque.

Aos 10 minutos o Cruzeiro passou a igualar a partida. Em uma chance de contra-ataque, o time celeste passou a ficar com a bola nos pés. E a partir deste momento o jogo ganhou emoção e oportunidades.

As primeiras foram do Cruzeiro, ambas com Pedro Rocha. Em uma delas, aos 16, o atacante pegou a bola pingando na área, chutou e o goleiro fez ótima defesa. A redonda ainda pegou na trave antes de sair.

Minutos depois, com o Cruzeiro agressivo no ataque, foi à vez de River responder. Em chegada com bastante perigo, Nacho Fernández chutou e a bola tirou tinta da trave.

A partida após os 25 voltou a ficar bastante travada. Os dois lados faziam boas jogadas no meio campo, mas falhavam em passes, às vezes no último.

Segundo tempo

O duelo voltou novamente igual para o segundo tempo. O Cruzeiro não tinha mais aquela postura defensiva de outro momento, já o River não contava com tanta posse de bola.

Com o passar do tempo foi claro que a equipe brasileira queria trabalhar as jogadas, tentar o melhor lance, mas errando no último passe. Já os argentinos queriam mostrar força, mas finalizavam de longe para surpreender Fábio e sempre erravam a mira.

O técnico Mano Menezes colocou Robinho em campo. Isso fez a equipe melhorar em campo, dando melhor condição de sair para o ataque e um jeito mais organizado de ser lançar a frente. Em contrapartida, o River tirou Lucas Pratto e perdeu sua referência na frente.

A partir da entrada de Robinho, o Cruzeiro passou a dominar a partida absolutamente. Era só Cruzeiro em campo. O River não conseguia criar mais nada, não agredia mais e o time azul se mandou para o ataque. Orejuella conseguia descidas importantes e os argentinos passaram a se segurar em campo.

Pênaltis:

Henrique – Perdeu (Cruzeiro)

De La Cruz – Gol (River)

Fred – Gol (Cruzeiro)

Montiel – Gol (River)

David – Perdeu (Cruzeiro)

Lucas Martínez – Gol (River)

Robinho – Gol (Cruzeiro)

Borré – Gol (River)

FICHA TÉCNICA:

CRUZEIRO (BRA) 0 (2) X (4) 0 RIVER PLATE (ARG)

Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)

Data: 30 de julho de 2019, Terça-feira

Horário: 19h15 (de Brasília)

Árbitro: Não divulgado.

Cartões: Lucas Romer (Cruzeiro); Enze Perez, Carrascal (River Plate)

CRUZEIRO – Fábio, Orejuella, Dedé, Léo, Egídio, Henrique, Lucas Romero, Thiago Neves, Marquinhos Gabriel (David), Ariel Cabral (Robinho) e Pedro Rocha (Fred).

Técnico: Mano Menezes.

RIVER PLATE: Armani; Montiel, Rojas, Lucas Martínez, Casco, Ponzio (Palacios), Enzo Perez, Carrascal, Igna (De La Cruz), Lucas Pratto (Matías Suárez)

Técnico: Marcelo Gallardo

Comentários