Pular para o conteúdo
Início » Pastor Batista é intimado pelo MP por rejeitar ideologia de gênero

Pastor Batista é intimado pelo MP por rejeitar ideologia de gênero

O pastor Jorge Linhares publicou nas redes sociais uma intimação recebida por ele, como diretor do Colégio Batista mantido pela igreja que ele dirige, por se opor à ideologia de gênero.

“Aí está, o Ministério Público do estado de Minas Gerais, mandando para mim a intimação para eu estar lá no dia 02 de agosto de 2021, às 15h00, na condição de investigado por ter declarado claramente que, não somente eu, mas o Colégio Batista Getsêmani, a igreja, todos nós, a Bíblia Sagrada, a Palavra de Deus declara que homem é homem, mulher é mulher, menino é menino, menina é menina”, declarou o pastor.

Linhares, que recentemente se recuperou de um quadro grave de covid-19, pediu que os irmãos na fé intercedessem por ele: “Ore para que no abrir da minha boca eu seja um instrumento para glória de Jesus”.

A intimação foi assinada pelo promotor Mário Konichi Higuchi Junior, de acordo com o vídeo gravado pelo pastor da Igreja Batista Getsêmani.

Nas redes sociais, o pastor e teólogo Franklin Ferreira repercutiu a intimação contra o pastor, contextualizando a situação de cerco que a Igreja de Cristo vive em toda a sociedade ocidental.

“A Igreja Cristã em todo o Ocidente está sofrendo constrangimentos e perseguição por parte dos adeptos da ideologia de gênero. Um exemplo dessa perseguição religiosa é o que está acontecendo no Colégio Batista Getsêmani”, introduziu.

“Muitos ‘cristãos progressistas’ – verdadeiros cavalos de Troia na igreja cristã – aderiram às pautas da ideologia de gênero. Mas estes e os adeptos de partidos de extrema-esquerda se tornaram uma ameaça real à liberdade religiosa e à vida de famílias, igrejas e escolas cristãs, atacando com fúria as bases civilizacionais judaico-cristãs”, acrescentou Ferreira.

Em seguida, o pastor conceituou que o secularismo se tornou uma idolatria agressiva: “Na verdade, os cristãos estão diante de um tipo de religião civil que se tornou uma ameaça à eficácia e até mesmo ao exercício dos direitos fundamentais, conquistados ao longo dos últimos dois mil e quinhentos anos e coroados na Declaração dos Direitos Humanos de 1948”.

“Que lembremos das palavras do Senhor Jesus: ‘Sereis odiados por todos por causa do meu nome, mas quem perseverar até o fim, esse será salvo’. (Mc 13.13)”, finalizou o pastor.

https://www.facebook.com/ProfFranklinFerreira/videos/939431656618596/?t=5