Pular para o conteúdo
Início » Após oito anos longe dos programas de TV, Adriane Galisteu comemora estreia em ‘A Fazenda’: ‘Sou bicho de televisão’

Após oito anos longe dos programas de TV, Adriane Galisteu comemora estreia em ‘A Fazenda’: ‘Sou bicho de televisão’

Apresentadora de 48 anos comanda o reality rural da Record a partir da próxima terça-feira e promete encontrar seu próprio caminho: ‘Eu não fico olhando o que deu certo para copiar’

Foram oito longos anos sem exercer uma de suas maiores paixões: comunicar. Mas, na próxima terça-feira, Adriane Galisteu, 48, dá a volta por cima em grande estilo, comandando o maior produto da Record TV, o reality show “A Fazenda”. Depois de uma temporada muito elogiada à frente do “Power Couple” e totalmente focada em seu novo desafio, Galisteu só pensa em agradecer pelas oportunidades que surgiram em sua vida profissional neste ano.

Adriane Galisteu estreia no comando de ‘A Fazenda’ na próxima terça-feiraAntonio Chahestian/Record TV“Eu vou ter que pagar todas as promessas que eu fiz. Vou ter que dar meu jeito de pagar, porque o que eu ajoelhei, o que eu pedi…”, diz a apresentadora, que sentiu muita falta de estar com um microfone nas mãos. “Eu sou bicho de televisão. Não conseguia acreditar que estava fora daquilo que mais amo fazer. É muito difícil você de repente se ver sem chão, que foi como eu me vi”, relata Galisteu sobre o tempo que ficou afastada da TV. Mas, apesar de tudo, ela não se deixou abater.

“Eu me reinventei. Não parei, continuei, insisti. Aliás, essa é a minha característica. Estou muito feliz agora de estar recebendo esse super desafio na minha vida, que é apresentar o maior reality de todos, eu diria. O mais querido do Brasil. Estou muito preparada, pronta para começar”, garante a apresentadora, que mesmo quando não tinha um programa para chamar de seu, continuava na mídia.

“Eu não saí da mídia porque tem essa relação com as redes sociais que eu construí. Tem o teatro, que eu nunca parei. De alguma forma, eu participei de um reality que foi a ‘Dança dos Famosos’ e que foi um super momento na minha vida também. Mas o meu barato sempre foi esse, foi televisão, fazer ao vivo, microfone na mão, comunicar. Essa sempre foi a minha gasolina”.

Pioneira

Esta é a primeira vez que um programa com esse formato é apresentado por uma mulher, fato que Adriane Galisteu considera “uma conquista”. “Ser a primeira mulher tem esse toque a mais. Quando me perguntam sobre o diferencial (de ser mulher no comando de ‘A Fazenda’), eu falo: ‘Só o fato de eu ser mulher assumindo esse produto que sempre esteve na voz masculina, já é um grande diferencial’. Existem mulheres que já tocaram outros formatos de reality, mas esse com participação do público, câmera 24 horas, que acontece diariamente e que é ao vivo… Muito lá atrás tivemos a Marisa Orth, que teve uma pequena participação (no ‘Big Brother Brasil’). Então, eu também tenho essa conquista e me orgulho muito dela”.

E Galisteu promete não deixar passar nada. “Eu vou estar com vários olhos. A diferença de ser uma mulher apresentando um reality é que a gente procura pelo em ovo… e acha! Esse vai ser o meu papel”.

Preparada

Mesmo com toda sua experiência, Adriane Galisteu confessa que ainda bate um friozinho na barriga antes da estreia. Mas, para a apresentadora, esse “medinho” é bom. Além disso, ela conta com o apoio de Rodrigo Carelli, diretor de “A Fazenda”, e sua equipe para fazer tudo dar certo.

“Com a minha experiência, espero não estragar o programa. Tenho também uma equipe comigo para me ajudar, me dirigir. Falei para o (Rodrigo) Carelli que estou de corpo e alma, totalmente entregue. Claro que tem um medinho, como eu tive no ‘Power Couple’. Substituir o Gugu Liberato, que pra mim é insubstituível”, explica a apresentadora, que também relembra os apresentadores que vieram antes dela em “A Fazenda”.

“E assim é também com o Marcos Mion e outros apresentadores. Eu assisti desde o início com o Britto Jr., o Roberto Justus. O Mion deu o nome na ‘Fazenda’, foi maravilhoso. Desejo para ele todo o sucesso do mundo. E acho que agora eu tenho que encontrar o meu caminho. Eu não fico olhando o que deu certo para copiar. Não é muito da minha característica. Vou tentar por outro caminho, encontrar o meu trilho, o meu tom, o meu jeito. E isso vai acontecer, eu tenho certeza absoluta”, garante Galisteu, que já está praticamente morando em Itapecerica da Serra e se despediu do marido, Alexandre Iódice, e do filho, Vittorio.

“Já falei tchau pro marido e pro filho. Falei ‘encontro vocês em dezembro, porque agora, se vocês quiserem me ver, só em Itapecerica. Vão pra lá’”, brinca.

Looks poderosos

Enquanto esteve à frente do “Power Couple”, Adriane Galisteu se destacou pela desenvoltura, mas também por seus looks deslumbrantes. A apresentadora pretende levar sua “identidade” para o figurino de “A Fazenda”, mas agora com uma pegada country.

“É um pouco diferente. O clima do ‘Power’ é power, é diferente de uma fazenda. Eu não sou basiquinha, não consigo. O meu basiquinho não pode ser só uma camiseta e uma calça. Eu fico achando que está faltando roupa. Eu vou trazer um pouco da minha identidade, mas dentro desse universo ‘fazendístico’”.

Relação apresentadora x diretor

Ao falar de sua relação com o diretor de “A Fazenda”, Galisteu lembra o início da carreira. A apresentadora já passou por emissoras como SBT, MTV, Band, RedeTV!, entre outras, e comandou programas de variados estilos. “Minha relação com o Carelli vem lá de trás. Ele me dirigiu no ‘Quiz MTV’. Olha o tempo… O Carelli começando e eu também. A gente praticamente começou juntos, então eu tenho uma relação com ele já há muito tempo”, diz Galisteu, que refuta a fama que o diretor tem de ser “difícil” com os apresentadores.

“Ele virou um expert nesse assunto. Pensando em reality show, poucas pessoas sabem tanto quanto ele. É a primeira vez que eu, como apresentadora, tenho duas pessoas no ponto. Mas a gente conseguiu encontrar um ritmo muito bom. Eu tenho uma relação com o Carelli muito boa e no ‘Power Couple’ eu já tive uma experiência. O Power valeu como experiência para agora chegar na ‘Fazenda’”.

“É claro que a ‘Fazenda’ deixa os ânimos mais exaltados. É um programa que tem uma tensão que fica no ar. O que a gente quer é eles (participantes) como eles são, mas mesmo assim fica todo mundo muito nervoso. Então, eu com a minha experiência também estou nervosa para a minha estreia. Mas eu tenho certeza que esse nervosismo acaba ajudando”.

Sem política

Uma das preocupações de Adriane é levar entretenimento para os telespectadores. Para isso, ela pretende “tesourar” assuntos mais polêmicos, como política. “Eu falei que eu ia dar um jeito de tesourar, porque eu acho que não tem graça nenhuma. Claro que a gente tem o roteiro, mas às vezes alguém pode falar alguma coisa… Eu vou de acordo com meu feeling e meu sentimento. Eu, particularmente, não me envolvo em política. Acho muito complicado e nunca vivemos um momento tão complicado como esse que estamos vivendo. Infelizmente”, explica.

“O poder do entretenimento é divertir. Política eu acho que não combina. A gente tem que repensar mil vezes a forma de se colocar. Isso é muito sério e eu acredito nisso. A gente tem que aprender todos os dias. Mas, realmente, se tem uma coisa que não tem graça, nesse momento, é falar de política. Política é um reality a parte”.

Futuro

Agora que voltou para a TV, Galisteu não quer mais sair. “Que venham outros desafios e que assim seja em 2022. Eu não quero parar. Agora que eu peguei esse microfone, eu não quero mais soltar”.